PSDB quer evitar que Kassab migre para base aliada

Apesar da criação prevista para a semana que vem do PDB, novo partido do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que o Estado pretende manter as parcerias que tem com a Prefeitura e a aliança política entre o PSDB e o PDB.

Agência Estado

12 de março de 2011 | 14h08

"Do ponto de vista administrativo, nada vai mudar. Vamos continuar todas as parcerias com o Prefeitura e o prefeito de São Paulo em benefício da população", afirmou o governador, após participar da missa em memória do décimo aniversário de falecimento do ex-governador de São Paulo Mario Covas, no mosteiro de São Bento, centro de são Paulo. "Sob o ponto de vista político, espero que possamos continuar juntos para trabalhar por São Paulo e pelo Pais."

O secretário da Casa Civil, Sidney Beraldo, disse que o PSDB vai trabalhar para evitar que o novo partido migre para a base aliada do governo federal. "Vamos trabalhar para que isso não ocorra", afirmou. De acordo com o secretário, o governo fará todo esforço para manter a aliança entre o PSDB e Kassab. "Nossa orientação e todo esforço é para mantermos a aliança feita em 2010. Foi uma aliança vitoriosa pela qual Geraldo Alckmin venceu no primeiro turno, Serra foi vitorioso em São Paulo e elegemos um senador", disse. "Com o partido novo, vamos continuar conversando para manter a aliança."

O PSDB de Alckmin é aliado nacional do DEM, atual partido de Kassab, tanto que o vice-governador Guilherme Afif Domingos pertence ao DEM. (Anne Warth)

Mais conteúdo sobre:
PSDBAlckminKassabPDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.