PSDB quer esclarecer gastos com cartões corporativos

Segundo senador Álvaro Dias, documentos estão prontos, mas dependem do reinício das atividades legislativas para serem protocolados

Andrea Jubé Vianna, da Agência Estado ,

20 de janeiro de 2011 | 17h15

BRASÍLIA - O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), encaminhará requerimentos aos 37 ministros e à Presidência da República pedindo esclarecimentos sobre os gastos com cartões corporativos. Segundo o tucano, os documentos estão prontos, mas dependem do reinício das atividades legislativas para serem protocolados.

 

Dias decidiu apresentar os requerimentos após a revelação, divulgada pela ONG Contas Abertas, de que os gastos do governo federal com os cartões corporativos bateram recorde em 2010, contabilizando R$ 80 milhões. Segundo a entidade, as despesas aumentaram cerca de R$15 milhões, ou seja, crescimento de 24% em relação ao ano anterior.

 

As despesas com os cartões corporativos foram alvo de uma comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI), que funcionou em 2008. As revelações de que ministros usavam o instrumento para custear despesas pessoais durante as férias e até para pagar lanches como uma tapioca motivaram a investigação.

 

O relatório final, assinado pelo deputado Luiz Sérgio (PT/RJ) - hoje ministro das Relações Institucionais - não recomendou o indiciamento de ninguém. Apenas sugeriu regras mais rígidas na utilização do instrumento, como a limitação aos saques a 30% do limite de cada cartão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.