PSDB quer denúncias contra Sarney em único processo

O PSDB defenderá no Conselho de Ética do Senado a união de todas as denúncias e representações contra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), em um único documento, a ser analisado por um só relator, informou o vice-líder do partido, senador Alvaro Dias (PR). A estratégia do PSDB, segundo ele, é a de tentar acelerar a tramitação de um possível processo contra o Sarney e encerrar a questão ainda em agosto.

CAROL PIRES, Agencia Estado

27 de julho de 2009 | 18h28

Amanhã o PSDB deve encaminhar uma representação ao conselho unificando as quatro denúncias já apresentadas individualmente contra Sarney pelo líder do partido, senador Arthur Virgílio (AM). "O ideal é reunir todas as denúncias do Arthur Virgílio, que se apense tudo, (também) a representação do PSOL, e se dê para um só relator, que julgará pelo conjunto da obra, para julgar tudo até agosto", declarou Alvaro Dias.

As quatro denúncias registradas por Virgílio e a representação apresentada pelo Psol contra Sarney - que o acusam de responsabilidade na edição de atos secretos, de tráfico de influência e de participação em um esquema de desvio dinheiro doado pela Petrobras para um projeto cultural da Fundação José Sarney. Mas o apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva à permanência de Sarney na presidência do Senado enfraquece a possibilidade de o PMDB confrontar o governo no Conselho de Ética.

Alvaro Dias avalia que, enquanto não for superada a crise envolvendo Sarney, não haverá ambiente para a aprovação de projetos polêmicos que precisam ser analisados com cautela, como o marco regulatório do pré-sal, a inclusão da Venezuela no Mercosul e o acordo feito entre o Brasil e o Paraguai em relação à energia da hidrelétrica de Itaipu.

Tudo o que sabemos sobre:
SenadoJosé SarneyPSDBAlvaro Dias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.