PSDB quer convocar Lina Vieira para explicar sobre agenda

Em agosto, ex-secretária da Receita Federal declarou que teve um encontro não oficial com Dilma Rousseff

Agência Brasil,

19 Outubro 2009 | 15h52

A liderança do PSDB no Senado deve apresentar na próxima quarta-feira, 21, um requerimento pedindo a convocação da ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira. Os senadores querem explicações sobre o fato de ela ter achado a agenda em que teria anotado o dia e o assunto de suposta reunião com a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff.

 

Veja Também

linkDilma Rousseff reitera que não teve reunião com Lina Vieira

linkLina diz ter encontrado agenda com reunião com Dilma

 

Em agosto, Lina Vieira declarou que teve um encontro não oficial com Dilma Rousseff, quando ouviu da ministra um pedido para agilizar as investigações que a Receita vinha fazendo nos negócios da família Sarney. Lina disse que entendeu "agilizar" como um pedido para encerrar as investigações e confirmou o pedido em uma convocação anterior, na Comissão de Constituição e Justiça. Dilma negou o encontro.

 

"Queremos trazer a Lina Vieira e confrontar a sua agenda com a de Dilma", disse o vice-líder do PSDB, Álvaro Dias (PR). "O que ficou em segundo plano foi o objetivo dela: queria agilizar para punir ou para livrar? Essa resposta não foi dada", completou.

 

A primeira convocação de Lina Vieira foi feita por conta de um "descuido" da base governista, que se ausentou do plenário da CCJ no dia da votação do requerimento. Álvaro Dias, no entanto, acredita que, desta vez, haverá presença em massa dos senadores governistas. "É difícil esse cochilo. Estamos tentando fazer com que a maioria aceite trazê-la", afirmou.

 

Os tucanos pretendem, também, apresentar um requerimento à Casa Civil pedindo explicações com relação à viagem do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da ministra Dilma Rousseff às obras de revitalização do Rio São Francisco, na semana passada. Para a oposição, a viagem, com recursos públicos, é eleitoreira.

 

"Cabe também uma representação ao Tribunal Superior Eleitoral. Houve afronta da legislação, a campanha é explícita", disse.

 

O requerimento à Casa Civil deverá ser apresentado nesta terça-feira, 20.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.