PSDB quer conversar com Roseana sobre sucessão

O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Arthur Virgílio, afirmou, nesta quinta-feira, após a missa do Dia Nacional de Ação de Graças, na Catedral de Brasília, que as negociações para escolher o nome do candidato governista à sucessão de 2002 passam por uma conversa do PSDB com a governadora do Maranhão, Roseana Sarney, e com o seu partido, o PFL.?Tanto a Roseana quanto o PFL serão fundamentais para levar o candidato governista para o segundo turno, seja ele quem for?, declarou Virgílio.O ministro voltou a frisar que acha positivo o crescimento de Roseana nas pesquisas de intenção de voto para a presidência em 2002. ?É um mérito dela e de seu partido. A Roseana é nossa companheira de primeira hora das reformas que estamos fazendo.?Virgílio disse que estaria sendo hipócrita se dissesse que o PSDB não deseja ser o cabeça de chapa nas eleições presidenciais do ano que vem. ?Mas não posso ter a soberba, em uma chapa, de achar que só eu posso comandar?, admitiu o ministro.Virgílio declarou que é cedo para dizer que o candidato será o Serra, o Tasso, a Roseana ou qualquer outro. ?São todas pessoas preparadas. O povo é que vai se pronunciar sobre quem é o melhor.?Ele afirmou que o esforço do momento é a busca da união dentro da base aliada. E afirmou que o PSDB tem mais uma reunião marcada para terça-feira. ?Tem que haver humildade. O governo não vai a lugar nenhum, se não nos juntarmos para conversar.?Para o ministro, o grande momento político será o lançamento do nome do candidato do governo. ?Temos certeza de que vamos ganhar as eleições do ano que vem. Todos os candidatos da oposição, à exceção do Lula, estão caindo nas pesquisas.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.