PSDB pede que MP apure suposto uso de TV estatal

Os advogados da campanha do candidato à Presidência José Serra (PSDB) protocolaram hoje uma representação à Procuradoria Geral da República (PGR) em que pedem a investigação do suposto uso político da TV oficial do governo, a NBR, na campanha eleitoral. O pedido baseia-se em reportagem publicada ontem pelo jornal Folha de S.Paulo, de que funcionários e equipamentos da NBR teriam sido usados para gravar comícios da presidenciável petista Dilma Rousseff que contaram com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

21 de setembro de 2010 | 20h03

Os advogados da campanha tucana pedem que o Ministério Público (MP) apure não apenas o uso dos funcionários e dos equipamentos da emissora estatal para gravar imagens dos comícios, como também a eventual utilização desse conteúdo na campanha de Dilma e, de um modo geral, na de seus aliados em todos os Estados.

Segundo a denúncia veiculada pelo Jornal, a direção da empresa teria orientado os funcionários a omitir os sinais de identificação da emissora antes de fazer as gravações. Cartazes teriam sido colados na sede da emissora com a explicação de que as gravações seriam apenas para registro.

Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, o advogado da campanha tucana, José Eduardo Alckmin, afirmou que "o fato é grave e é necessário investigar se a máquina administrativa foi usada em prol da candidatura de Dilma".

Em nota oficial, a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), da qual faz parte a NBR, afirmou que uma de suas atribuições é documentar a atuação pública do presidente, seja para transmissão na TV NBR, seja para o acervo histórico da Presidência da República.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.