PSDB pede posição firme de Lula contra ações da Farc

Em nota oficial, o PSDB pediu hoje que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não deixe de condenar, "de forma clara e segura as ações das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc)". A nota do PSDB diz ainda que Lula, em seu programa de rádio transmitido nesta segunda-feira, "mais uma vez, foi dúbio e tratou a questão com pouca firmeza. No mesmo dia em que se noticia o seqüestro pelas Farc de mais seis cidadãos colombianos, inocentes turistas, é vergonhoso para o Brasil que seu presidente peça ao governo da Colômbia para negociar com os narcoguerrilheiros, sem uma palavra sequer de solidariedade a essas vítimas e outras, mais de 700, que são mantidas acorrentadas na selva colombiana".A nota pergunta: "Com quem está o presidente Lula: com seu amigo Hugo Chávez, que trata as Farc como um movimento político legítimo? Ou com a sociedade brasileira e o chanceler Celso Amorim, que se pronunciou contra isso? O silêncio do presidente enfraquece a declaração do chanceler e mantém a ambigüidade sobre a posição do Brasil". E conclui: "A opinião pública brasileira exige e os interlocutores externos do Brasil merecem uma manifestação clara sobre assunto de tamanha gravidade". A nota do PSDB é assinada pelo seu presidente, o senador de Pernambuco Sérgio Guerra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.