Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

PSDB pede ao TSE voto impresso e unificação do horário de encerramento das eleições

De acordo com o líder do partido na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio (SP), coordenador jurídico da campanha de 2014, a comprovação física do sistema digital permitirá mais confiabilidade no processo

Gustavo Aguiar, O Estado de S. Paulo

04 Novembro 2015 | 19h54

Brasília - Sem condições de afirmar se houve fraude ou não nas eleições de 2014, o PSDB enviou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido para adoção do voto impresso e unificação do horário de encerramento do processo. O pedido faz parte de uma lista de 10 recomendações anexadas ao relatório da auditoria sobre o pleito, divulgado nesta quarta-feira, 4. 

O partido sugeriu que o Tribunal crie "imediatamente" um grupo para estudar uma proposta de "imprescindível implantação do voto impresso, como forma de garantir que o eleitor tenha o direito de ver e conferir o conteúdo do registro digital no seu voto", afirma o relatório. De acordo com o líder do partido na Câmara dos Deputados, Carlos Sampaio (SP), coordenador jurídico da campanha de 2014, a comprovação física do sistema digital permitirá mais confiabilidade no processo. 

O eleitor, no entanto, não levaria o comprovante para casa; mas, sim, conferiria a computação correta do voto e pediria a anulação caso o registro estivesse errado. O relatório descreve o modelo "voto impresso acoplado" como mais transparente, e menciona que países como Inlgaterra, Irlanda, Itália, Holanda, Espanha e Finlândia já testaram o sistema de urnas eletrônicas e desistiram de implementá-lo. "Até mesmo países de dimensões territoriais bem menores que o nosso, como a Argentina, já evoluíram e hoje adotam sistemas com voto impresso acoplado", afirma o documento.

Em setembro, a presidente Dilma Rousseff vetou uma lei que previa a impressão do voto ao considerar um parecer do TSE que a adaptação do sistema poderia custar R$ 1,8 bilhão de reais. De acordo com técnicos do PSDB, o custo não passaria de R$ 300 milhões. "É uma quantia elevada, mas plenamente justificável para permitir uma auditagem", explicou Sampaio.

Fuso horário. Outra recomendação foi de que o País unifique o horário de encerramento da votação para impedir que a contagem de votos em alguns estados comece antes. O Acre, por exemplo, tem três horas de diferença em relação aos estados que acompanham o horário de Brasília e, por isso, os eleitores acabam conhecendo os resultados parciais antes do fim da votação, o que poderia influenciar no resultado total. 

O item já havia sido mencionado pelos tucanos em um pedido à Justiça Eleitoral feito dias depois das eleições de 2014 sobre a realização de uma auditoria do processo. Ele agora integra a lista de 10 sugestões do PSDB para atualizar o sistema brasileiro. "Estamos convencidos de que este documento, elaborado com isenção técnica, constitui-se em importante contribuição para o aprimoramento do sistema eleitoral do País", afirma o partido no relatório. 

Confira todas as recomendações feitas pelos tucanos ao TSE:

1) Apresentação de proposta para a implementação do voto impresso;

2) Adoção de procedimentos de auditoria por órgãos desvinculados do TSE;

3) Autorização do uso de sistemas de verificação desenvolvidos ou adquiridos pelos partidos, desde que examinados pela Justiça Eleitoral; 

4) Sorteio de urnas a serem fiscalizadas pela OAB, Ministério Público, Justiça Eleitoral e fiscais dos partidos em um "sistema de votação paralela";

5) Adaptação da fiscalização do "sistema de votação paralela" ao sistema biométrico de votação;

6) Realização de testes de amostragem a cada novo lote de urnas adquirido, com acompanhamento de órgãos da sociedade civil e de representantes dos partidos políticos; 

7) Alteração de resoluções vigentes para garantir auditoria plena das eleições;

8) Unificação do horário de encerramento das eleições;

9) Criação do Conselho de Acompanhamento das Eleições composto por representantes indicados pelos partidos, Ministério Público, OAB, Justiça Eleitoral e técnicos do Congresso Nacional; 

10) Fechamento das portas dos locais de votação somente de disponibilizar as cópias dos boletins de urna aos fiscais de todos os partidos presentes em cada sessão eleitoral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.