PSDB pede ao TSE que investigue violação de sigilos de filha de Serra e tucanos

Advogado do partido protocolou pedido de investigação; objetivo é que Corregedoria Geral Eleitoral apure abuso de poder e uso da máquina pública

Malu Delgado/SÃO PAULO, O Estado de S. Paulo

01 de setembro de 2010 | 16h54

O advogado do PSDB, Ricardo Penteado, protocolou no final da tarde desta quarta-feira, 1º, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido de investigação judicial eleitoral. O objetivo é solicitar à Corregedoria Geral Eleitoral (CGE) a instauração de um procedimento investigativo para apurar abuso de poder e uso da máquina pública na estrutura eleitoral da campanha de Dilma Rousseff (PT) contra o candidato José Serra (PSDB). Questionado sobre a procedência da investigação diante das últimas revelações sobre o episódio, o advogado disse: "Me parece evidente" (que a Corregedoria deve acatar o pedido).

 

O pedido de investigação pressupõe que houve crime eleitoral para prejudicar o tucano a partir da violação dos sigilos fiscais de Verônica Serra, filha de Serra; do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge; do economista Luiz Carlos Mendonça de Barros; de Gregorio Marin Preciado, empresário casado com uma prima de Serra; e de Ricardo Sérgio, ex-diretor do Banco do Brasil no governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

 

"Sem dúvida nenhuma houve uso de dados sigilosos da Receita", afirmou o advogado Ricardo Penteado ao Estado, referindo-se aos documentos de um suposto dossiê com dados do sigilo fiscal de Eduardo Jorge que chegaram ao conhecimento da imprensa.

 

Atualizada às 18h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.