PSDB paulista quer suspensão de programa do PPB

O PSDB paulista entrou com pedido, na Justiça Eleitoral, de suspensão do horário eleitoral do PPB estadual e nacional e direito de resposta pelas contínuas investidas dos pepebistas contra o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. "O horário se converteu numa guerra, uma promoção personalista e de ataque aos possíveis adversários", afirmou. Para Alckmin, o que agrava a situação é o fato de o PPB fazer inserções gratuitas ao longo da programação da TV sem se identificar. Segundo ele, o que se vê são apenas as critícas a seu governo e partido sem que o eleitor saiba quem é o autor do programa. "Essas veiculações são do PPB nacional mas são apócrifos, não têm sequer autor; sabe-se quem o fez pelo dia e horário em que foram exibidos", afirmou. "Usam o horário para fazer ataques pessoais com fins eleitoreiros, de forma covarde e escondida por não ter o nome do partido." Os tucanos consideram que o PPB e o ex-prefeito e pré-candidato ao goveno estadual, Paulo Maluf, estão fazendo campanha antes do tempo. "Infelizmente o horário eleitoral gratuito não está sendo usado para seus fins. Ele existe para que os partidos políticos possam levar a sua proposta aos eleitores. A democracia assegura que todos tenham acesso aos meios de comunicação para difundir suas idéias", disse Alckmin. Em suas últimas aparições no horário eleitoral gratuito de seu partido, Maluf tem procurado mostrar o que classifica como "ponto fraco" do governo do PSDB - a falta de segurança no Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.