Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

PSDB pode substituir aplicativo para finalizar prévias até domingo

Plano B do partido é contratar outra empresa para concluir eleições internas após fiasco no sistema de votação

Felipe Frazão, O Estado de S.Paulo

22 de novembro de 2021 | 19h48
Atualizado 22 de novembro de 2021 | 23h26

BRASÍLIA — Depois de muita confusão e troca de acusações, o PSDB decidiu concluir até o próximo domingo, 28, o processo de prévias para a escolha do candidato tucano à Presidência, abrindo a possibilidade de um plano B. A ideia é contratar outra empresa para terminar a eleição interna, caso não haja segurança de que o atual sistema vá funcionar. As prévias foram suspensas neste domingo, 21, após falhas no aplicativo de votação.

Dos 44.700 filiados inscritos para votar, menos de 4 mil conseguiram escolher o candidato por causa da instabilidade no sistema. O problema técnico, porém, serviu para escancarar o racha político no partido.

O prazo adicional foi estabelecido durante reunião entre dirigentes do PSDB e as campanhas dos governadores de São Paulo, João Doria, e do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nesta segunda-feira, 22. O ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio não enviou representantes, mas, assim como Doria, apoiou a decisão anunciada pelo presidente do PSDB, Bruno Araújo.

Ao fim do encontro, no entanto, Leite disse que não havia acordo para que as prévias terminassem no domingo e defendeu o encerramento da votação nesta terça-feira, 23. Em nota, a cúpula do PSDB informou que ainda aguarda manifestação da Fundação de Apoio da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Faurgs), empresa responsável pelo aplicativo de votação. “Se até esta terça-feira ela não oferecer garantias concretas de viabilidade e robustez da solução contratada, o PSDB adotará tecnologia privada para concluir o processo de prévias”, destacou o partido. “Em qualquer alternativa, a integridade do processo eleitoral será rigorosamente observada.”

Uma das hipóteses prevê que os grupos de filiados sejam divididos e passem a votar de forma escalonada. A intenção das campanhas é que parlamentares federais, estaduais, prefeitos, governadores, vice-prefeitos e vereadores votem ao longo da semana e os tucanos sem cargos, no domingo.

Duas empresas são cotadas para assumir o aplicativo de votação: a Relatasoft, usada pela OAB do Distrito Federal, e a WebVotos. “Esse processo, da forma como está se apresentando, tem muitos ônus que ferem a credibilidade. O que se está aventando é a contratação de outra empresa, que desconheço. Queríamos que se concluíssem as prévias até amanhã (terça), no fim do dia, porque esse espaçamento fere a legitimidade do processo do ponto de vista político”, protestou Leite.

Apoiado pelo deputado Aécio Neves (MG), rival de Doria, o governador gaúcho minimizou o impacto das divergências na campanha de 2022. “Seguramente será a eleição mais importante da história recente. O PSDB não pode se fragmentar nem ir pouco competitivo para esse processo”, disse ele.

Araújo rebateu o correligionário e garantiu que houve, sim, um acordo sobre a retomada das prévias até domingo. “Não sou leviano. Caso a Faurgs confirme que não vai dar solução, não posso deixar 40 mil filiados esperando”, afirmou.

Para Doria, “existem soluções” para garantir a manifestação dos filiados que se inscreveram nas prévias. “Qualquer alternativa que não seja a rápida conclusão da votação é um desrespeito à vontade da maioria partidária. É violentar as prévias. É negar a democracia.”

Na avaliação de  Arthur Virgílio, Leite age para “melar” a disputa ao dizer que quer uma eleição até terça, sabendo não ser possível fazer isso com segurança. “Antes ele falava em empurrar as prévias para fevereiro de 2022. Chega de pessoas pessimistas colocarem dificuldades e filigranaras que são menores que a democracia, o PSDB, nosso compromisso com os militantes e nosso projeto de luta legítima pelo poder”, criticou o ex-prefeito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.