PSDB mantém racha e terá duas chapas na convenção em SP

Presidente nacional do partido não conseguiu convencer o grupo dos kassabistas a apoiar Alckmin

ELIZABETH LOPES, Agencia Estado

19 de junho de 2008 | 20h34

O PSDB de São Paulo realizará mesmo a convenção municipal de com duas chapas, a do ex-governador Geraldo Alckmin e a que prevê a manutenção da aliança com o DEM do prefeito e candidato à reeleição Gilberto Kassab. Apesar do racha da legenda na capital paulista, o presidente nacional da sigla, senador Sérgio Guerra (PE), que passou o dia em São Paulo a fim de tentar apaziguar os ânimos, não conseguiu demover a ala pró-Kassab a apoiar a chapa única encabeçada por Alckmin. Veja Também: Aldo aceita ser vice de Marta em SP Calendário eleitoral das eleições deste ano   Apesar da disputa com duas chapas, o partido fechou hoje um pacto de não-agressão. "Esta será uma convenção absolutamente civilizada e de não-agressão de ambas as partes", informou o deputado Júlio Semeghini (PSDB-SP). Semeghini, que acompanhou durante todo o dia de hoje as reuniões de Guerra com os dois lados do partido na capital e com o presidente do diretório municipal, José Henrique Reis Lobo, disse que foram fechados alguns pontos importantes para a realização da convenção de domingo.Além do pacto de não-agressão, os dois lados comprometeram-se a acatar o resultado da votação de domingo, sem contestações na Justiça e sem brigas. "O resultado dessa convenção será respeitado por todos os membros do PSDB", destacou, complementando que, se houver alguma pendência, a discussão se dará num fórum formado pela direção dos diretórios municipal, estadual ou nacional.O PSDB paulista também definiu a criação de um comitê eleitoral, formado por dois representantes das alas ligadas a Alckmin e dois das alas ligadas a Kassab, além de representantes da executiva municipal da legenda. Este comitê acompanhará todas as etapas da convenção de domingo e definirá a maneira como será realizada a votação nas duas chapas concorrentes. Semeghini adiantou que a legenda poderá usar urna eletrônica "porque é mais confiável". UrnaO uso da urna eletrônica será definido amanhã, após reunião dos dirigentes do partido na cidade e dos membros da direção nacional. Outro ponto definido hoje foi a formação de uma chapa única de vereadores, independente da briga das duas alas do partido. O deputado disse que isso tende a deixar a legenda unida para enfrentar essas eleições, independente de quem vença a convenção de domingo. "O importante é que retomamos o diálogo e o bom debate, pois devemos estar preparados para este processo eleitoral e chegar às eleições sem racha ou divisões", emendou.O deputado afirmou também que as denúncias travadas pelos dois lados serão totalmente investigadas pela executiva municipal da legenda e, se for comprovado que alguém desrespeitou as regras, o responsável será punido. "Não queremos a ingerência desse tipo de denúncia em nosso partido, que sempre prezou a ética e o respeito; por isso, tudo será investigado", disse. Nesse tiroteio, a ala pró-Kassab levantou a suspeição de que as eleições de domingo na convenção da legenda poderiam ser fraudadas em favor de Alckmin e delegados tucanos partidários do ex-governador denunciaram, no site da revista Época, a tentativa de suborno para trocar de lado e apoiar a reeleição de Kassab.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.