PSDB libera alianças em todo País, até com petistas

Um dia depois de o Diretório Nacional do PT aprovar uma resolução que dificulta a aliança entre petistas e tucanos na disputa pela Prefeitura de Belo Horizonte, a Executiva Nacional do PSDB reuniu-se ontem à noite para discutir as eleições municipais e deu apoio ao governador de Minas, Aécio Neves (PSDB), que patrocina a parceria na capital mineira. Na reunião, a cúpula tucana decidiu não cercear as alianças nos Estados, impondo regras idênticas para todo o País. ?O Aécio está pacificando o Estado, como é da tradição da política mineira, e não temos dúvida de que o governador vai garantir bons resultados políticos e eleitorais ao partido?, resumiu o presidente nacional da legenda, senador Sérgio Guerra (PE), depois da reunião da Executiva. Especificamente, a Executiva resolveu que não vetará acertos com petistas. ?Preferimos não ter alianças com o PT, mas não há nada que as impeça?, destacou Guerra. Ele esclareceu, no entanto, que prefere parcerias no campo da oposição.Guerra explicou que o PSDB só vai nacionalizar a eleição ?em casos extremos?, em que identificar falta de comando dos partidos responsáveis ou a formação de alianças classificadas como indefensáveis ou esdrúxulas. ?Teremos uma compreensão ampla e flexível em relação às alianças. Só não vamos admitir que apóiem bandido nem que se juntem a um inimigo declarado do partido.?A aliança em Belo Horizonte, na avaliação de Aécio, é o laboratório de uma forma mais agregadora de fazer política, em oposição ao acirramento da briga entre PT e PSDB em São Paulo. É com esse discurso que ele procura se posicionar na disputa com o colega José Serra pelo posto de candidato do PSDB à Presidência em 2010. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.