PSDB lança Serra à Presidência; Lula vai com Dilma ao ABC

PSDB lança Serra à Presidência; Lula vai com Dilma ao ABC

Evento de tucanos em Brasília terá FHC entre oradores; em São Bernardo, petistas tentam fazer 'contraponto social' ao lançamento de Serra

Estadão.com.br

09 de abril de 2010 | 23h09

O PSDB faz neste sábado, 10, a partir das 9h, o lançamento oficial da pré-candidatura de José Serra à Presidência da República. O evento, que será realizado em Brasília, no Espaço Brasil 21, terá a presença de todos os partidos aliados aos tucanos. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso está entre os oradores.

 

Veja também:

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Dilma e Serra travam guerra virtual por eleitores

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Tucanos sentem 'vergonha' do governo FHC, diz Dilma

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Vídeo biográfico de Serra reforça ideia de comparar biografias

https://www.estadao.com.br/estadao/novo/img/icones/mais_azul.gif Acompanhe ao vivo no Radar Político e no twitter

 

No mesmo horário, só que no ABC paulista, a pré-candidata petista e concorrente de Serra, Dilma Rousseff, estará em um ato com seis centrais sindicais de São Bernardo do Campo. O objetivo da campanha petista é fazer uma espécie de "contraponto social" ao lançamento do tucano. A arma de Dilma é a presença de Lula.

 

No lado tucano, o primeiro a discursar será FHC, por volta das 10h30. Logo na sequencia, será apresentado um vídeo com a trajetória pessoal e política de Serra. Os discursos prosseguem com o presidente do PPS, Roberto Freire, o presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), e o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE). O ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves discursará em seguida, falando em nome dos governadores. Por fim, por volta do meio-dia, o candidato quem fala é o próprio candidato.

 

No ABC paulista, o tema do evento com Dilma e Lula - emprego e qualificação profissional - foi escolhido com a recomendação de que era preciso juntar povo no palanque. E é exatamente isso que espera o comando da campanha petista. Aloizio Mercadante, que será o candidato do PT ao governo de São Paulo, também estará no ato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.