PSDB já discute sucessão de Renan no Senado

Presidente nacional do partido diz que tem candidato para presidir a casa: o senador Jarbas Vasconcelos

CHRISTIANE SAMARCO, Agencia Estado

10 de setembro de 2007 | 20h30

A dois dias do julgamento do pedido de cassação do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o PSDB já começou a discutir a sucessão do senador no cargo. Em um seminário sobre a reforma política, em Brasília, bastou o líder tucano no Senado, Arthur Virgílio Neto (AM), propor à bancada o veto à eventual candidatura do senador José Sarney (PMDB-AP), para Tasso anunciar que já tem candidato para presidir a Casa: o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE). Amanhã a legenda vai reunir a executiva nacional para fechar questão em favor da cassação do mandato de Calheiros. "Não sei quem será meu candidato, mas sei quem eu não quero. Não quero nada com essas oligarquias. Nosso candidato tem que ter estatura moral e ser de renovação", disse Arthur Virgílio, para concluir: "Se for candidato, Sarney não levará meu voto e espero que não leve o voto da bancada que tenho a honra de liderar". O líder arrancou aplausos da platéia tucana, mas àquela altura, Tasso ainda estava a caminho do seminário, vindo do Ceará, e não pôde ouvi-lo. Alguns dirigentes da legenda interpretaram a fala de Virgílio como uma "provocação" ao presidente do partido, por conta da proximidade de Tasso com a líder do governo no Congresso, senadora Roseana Sarney, e com o pai dela. Provocado ou não, Tasso reagiu de pronto, lançando o ex-governador de Pernambuco na disputa. "Primeiro vamos ouvir o resultado da votação de quarta-feira. Prefiro ter a certeza da cassação para depois discutir sucessão", ponderou Tasso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.