PSDB inicia mobilização para 2010 em SP

Partido começa hoje encontros em todo o Estado para fortalecer a candidatura de Serra

Silvia Amorim, O Estadao de S.Paulo

27 de junho de 2009 | 00h00

O PSDB estadual inicia hoje uma série de reuniões em São Paulo que têm, como principal objetivo, estruturar o movimento de pré-candidatura do governador José Serra (PSDB) à Presidência da República em 2010. Apesar da resistência do tucano em falar publicamente sobre o assunto, o PSDB paulista vai defender nesses encontros regionais que Serra é o candidato do partido ao Palácio do Planalto e sugerir que o trabalho de mobilização para a corrida eleitoral comece desde já.Serra disputa com o governador de Minas, Aécio Neves, a vaga de presidenciável pelo PSDB. Os paulistas querem emplacar Serra sem disputa interna, como alternativa de consenso. Em Minas, os tucanos pressionam pela realização de prévias.A primeira reunião será hoje, no município de Americana. Até o fim do semestre serão realizados entre 18 e 20 encontros.Participa dessas reuniões a base do partido - líderes locais, prefeitos, vereadores e deputados. Nelas discutem-se também estratégias eleitorais em nível regional. No plano nacional, servirão para afinar os discursos pró-Serra em 2010, dando a essas lideranças munição para ampliar a popularidade do governador - um repertório de obras e ações dele no Estado."O objetivo fundamental do partido é eleger o Serra e que São Paulo faça a diferença. Temos de sair com 65%, 70% dos votos", diz o secretário-geral do PSDB paulista, Cesar Gontijo.Os encontros vão ainda ajudar na elaboração de um mapeamento das áreas em que o PSDB tem maior dificuldade de mobilização. Já se sabe que regiões como o Vale do Ribeira, parte da Grande São Paulo e o entorno dos municípios de Ribeirão Preto e Presidente Prudente precisam de um trabalho mais forte para ampliar a popularidade de Serra. O plano dos serristas é aumentar ao máximo a votação em São Paulo para compensar dificuldades de penetração no Norte e Nordeste. "Nossa possibilidade de crescer em São Paulo é muito maior, porque aqui temos uma estrutura já montada e muito bem organizada", defendeu Gontijo.São esperados em uma ou outra reunião os secretários Aloysio Nunes Ferreira (Casa Civil) e Geraldo Alckmin (Desenvolvimento), cotados para suceder Serra no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.