PSDB formalizará hoje sua saída do Conselho de Ética

Na visão dos tucanos, o Conselho se transformou em um terreno loteado entre os partidos

Christiane Samarco, de O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2009 | 12h58

O PSDB formalizará na tarde desta terça-feira, 25, sua retirada do Conselho de Ética do Senado. O partido é contra a formatação do colegiado, cujo loteamento conforme a composição da Casa estaria privilegiando as disputas político partidárias. Segundo o presidente nacional do partido, senador Sérgio Guerra (PE), que integra o colegiado, "o PSDB já está fora do Conselho".

 

Veja Também

linkSenadores irão contestar no STF fim de ações contra Sarney

 

Além de Guerra, os tucanos têm outra vaga de titular no Conselho, ocupada pela senadora Marisa Serrano (MS), e uma suplência exercida pelo líder da bancada no Senado, Arthur Virgílio (AM). Segundo Sérgio Guerra, a bancada vai se reunir daqui a pouco, no tradicional almoço das terças-feiras, no gabinete do senador Tasso Jereissati (CE), mas há um consenso em relação ao conselho. "No formato como está e com essa orientação representando maiorias e minorias, com interesses partidários, o Conselho não serve mais", disse.

 

Embora senadores da base aliada e da oposição já tenham defendido a extinção do colegiado, o PSDB e o DEM estão discutindo uma proposta alternativa. A ideia é manter o Conselho em funcionamento com apenas um representante de cada partido para acabar com a luta política interna. Na visão dos tucanos, o Conselho se transformou em um terreno loteado entre os partidos.

 

O senador petista Tião Viana (AC) foi um dos que chegou a defender a extinção do Conselho, mas, em conversa com tucanos e democratas, revelou que já recuou desta ideia e aceita discutir um novo formato para o colegiado.

Tudo o que sabemos sobre:
PSDBSenadoConselho de Ética

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.