PSDB fará pré-convenção para escolher candidato

O presidente do PSDB, deputado José Aníbal (SP), comunicou ao ministro José Serra, da Saúde, a decisão da Executiva Nacional do partido de realizar, depois do carnaval, uma pré-convenção para escolher o candidato tucano à sucessão presidencial. Apesar de ter adotado esse procedimento, os partidários do PSDB vão tentar um acordo prévio entre os pré-candidatos para que a pré-convenção apenas consolide o nome, evitando assim um racha. Ao participar da inauguração de um busto em homenagem ao ex-governador Mário Covas, na Câmara dos Deputados, Serra limitou-se a afirmar que aceita a decisão do partido. "Estou trabalhando para que o processo ocorra o mais democrático possível", afirmou, por sua vez, José Aníbal, que está ampliando as conversas dentro do PSDB em busca do consenso. Segundo ele, o partido terá como candidato "aquele que agregar mais e que tem condições de sair vitorioso". Já o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu uma consulta mais ampla para a escolha do candidato. "A pré-convenção é o mínimo, mas é um dos caminhos. Eu acho que quanto mais ampla a consulta mais a vida partidária se fortalecerá", disse o governador. Ele negou, no entanto, que teria feito um acordo com José Serra para apoiá-lo na campanha presidencial, em troca do apoio do ministro na disputa pelo governo paulista. "Não existe acordo, até porque eu não sou candidato a governador. O candidato será escolhido no ano que vem pelo partido. Concorrer a cargo majoritário não é fruto de decisão pessoal, mas de uma consulta à sociedade. Também não tenho candidato à Presidência da República. E prestigio todas as lideranças que disputam a indicação. Temos de manter o partido coeso", ponderou Alckmin.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.