PSDB exige apuração rigorosa contra Waldomiro, diz Serra

O presidente do PSDB, José Serra, disse hoje esperar que "o PT não encontre apenas um bode expiatório" no caso de corrupção envolvendo o demitido subchefe para Assuntos Parlamentares da Casa Civil da Presidência da República, Waldomiro Diniz. "Eu não sabia desse assunto. Li a notícia durante o vôo de São Paulo para Campo Grande, mas que o PSDB vai cobrar uma investigação rigorosa, isso vai, como já fez o senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), já que Diniz chegou ao Planalto com as bênçãos do todo-poderoso ministro da Casa Civil, José Dirceu".Segundo ele, a obrigação da oposição é fiscalizar as ações do governo. Para o ex-ministro e candidato derrotado à presidência, o discurso do PT mudou radicalmente assim que o partido assumiu o governo. Serra disse que "já se passaram 25% do governo Lula e até agora não foi feito nada para combater o desemprego e acelerar o desenvolvimento do País". O presidente do PSDB acusou ainda o governo Lula de discriminar governadores tucanos. Sem citar nome, disse que um governador do PSDB nunca conseguiu ser recebido pelo ministro da Fazenda, Antonio Palocci.Em discurso na Câmara para uma platéia de 400 pessoas, o ex-ministro atacou também o programa Fome Zero. "O programa é uma estratégia de marketing do governo Lula e, mesmo premiado. Não existe".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.