PSDB espalha 8,4 mil fiscais por SP

O PSDB e a coligação do candidato à Prefeitura de São Paulo, José Serra, tem hoje nos postos de votação da capital 8.400 fiscais. Além do PFL e PPS, partidos que formam a coligação oficial de Serra, integram essa fiscalização mais 11 legendas, entre elas o PV e o PDT. "Temos de um a dois fiscais em cada local de votação da capital", informou o presidente do diretório municipal do PSDB e um dos coordenadores da campanha de Serra, deputado Edson Aparecido.Ao chegar à residência de Serra, por volta das 9h15 deste domingo, Edson Aparecido ressaltou a importância histórica do partido chegar pela primeira vez na reta final de uma eleição municipal de São Paulo. "Do ponto de vista político, o PSDB chega maior do que entrou nesta campanha e isso se dá porque o partido teve sempre uma postura correta e respeitável, mesmo na oposição", reafirmou.Segundo Aparecido, um dos grandes vitoriosos do pleito em São Paulo é o governador do Estado, Geraldo Alckmin. "A grande vitória é de Alckmin e de nossos aliados", disse, citando especialmente o PFL e o PPS.Apesar da vantagem de Serra, Aparecido destacou que é preciso esperar o resultado das urnas. O otimismo dos tucanos aumentou ainda mais por causa das informações de que muitos eleitores estão votando antes de viajar para o feriado prolongado. "Soubemos que há muita fila nos colégios de votação e isso é um fato importante porque as pessoas estão vendo que este pleito é crucial para a história de São Paulo."De acordo com o deputado, Serra deverá se pronunciar a respeito do resultado das eleições a partir das 21h30 no diretório estadual do partido, situado na Avenida Brigadeiro Luiz Antonio. "Vamos respeitar o resultado das urnas", complementou o deputado.Apesar de informações de que correligionários do partido estão preparando uma grande festa na avenida Paulista, o deputado Edson Aparecido não quis comentar o assunto. E insistiu: "É preciso primeiro esperar o resultado das urnas. Vamos aguardar esse resultado com muito respeito", reiterou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.