PSDB entra para o governo de Campos e fala em fortalecer parceria com PSB

Em nota, tucanos afirmam que os dois partidos trabalham para fazer coligações nas eleições de 2014

Isadora Peron, de O Estado de S. Paulo,

30 Dezembro 2013 | 18h21

SÃO PAULO - O PSDB de Pernambuco divulgou nota nesta segunda-feira, 30, para oficializar a entrada no governo Eduardo Campos (PSB). Os tucanos devem ocupar os cargos que pertenciam ao PTB, que deixou o governo para disputar o comando do Estado ao lado do PT em 2014.

O texto destaca ainda que o objetivo das duas siglas é fortalecer a parceria também em outros Estados. “Além de parceiros na gestão de Pernambuco, PSDB e PSB trabalham coligações para as eleições de 2014”, diz a nota.

Os dois partidos devem lançar candidato próprio à Presidência, mas têm articulado alianças estaduais para a disputa do ano que vem. No início do mês, Campos e Aécio Neves (PSDB) se encontraram no Rio para discutir o assunto. Além de Pernambuco, os presidenciáveis avaliaram a possibilidade de dividir palanques em São Paulo, Minas, Paraíba e Rio Grande do Sul.

A aproximação de Campos com os tucanos, porém, não é vista com bons olhos pela ex-ministra Marina Silva, que entrou no PSB em outubro após o registro do seu novo partido, a Rede Sustentabilidade, ser negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Marina e seus aliados afirmam que a coligação PSB-Rede não deve fazer alianças nem com o PSDB nem com o PT.

O ponto mais crítico dessa discussão é em relação à disputa em São Paulo. Enquanto a Rede defende lançar candidatura própria, o PSB trabalha para apoiar a reeleição do governador tucano Geraldo Alckmin.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.