PSDB e DEM levam denúncia contra André Vargas ao Conselho de Ética da Câmara

Para os partidos, parlamentar deve ser punido com perda de mandato porque cometeu quebra de decoro ao aceitar viajar em avião pago por doleiro preso pela PF

Atualizado às 12 horas, O Estado de S. Paulo

04 de abril de 2014 | 11h18

As lideranças do PSDB e do DEM vão protocolar, na próxima semana, no Conselho de Ética da Câmara representação contra o vice-presidente da Casa, André Vargas (PT-PR). Para as legendas, o parlamentar cometeu quebra de decoro ao viajar em jatinho pago pelo doleiro Alberto Yousseff, preso pela Polícia Federal, durante a Operação Lava Jato.

Nessa quinta-feira, 3, o PSOL protocolou um ofício pedindo a investigação do caso na Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Casa. Reportagem publicada pela Folha de S. Paulo revelou que André Vargas pegou emprestado o avião de Yousseff para viajar de Londrina (PR) a João Pessoa (PB) em suas férias no início do ano. O doleiro está preso por envolvimento em um esquema de lavagem de dinheiro que teria movimentado R$ 10 bilhões.

Em nota, o PSDB afirma que o uso da aeronave pode configurar "recebimento de vantagem indevida", o que justificaria a punição com a perda do mandato.

Vargas foi à tribuna dar explicações aos colegas esta semana e disse ter sido "imprudente" e que desconhecia as investigações contra o doleiro, com quem mantém amizade há 20 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
André Vargas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.