PSDB diz que não vai investigar família de Lula em CPI

'Não acho que é correto essa história de ir atrás da família do presidente', diz Sérgio Guerra sobre cartões

Eugênia Lopes, de O Estado de S.Paulo

12 de fevereiro de 2008 | 12h40

O presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra, afirmou nesta terça-feira, 12, que a CPI que vai investigar o mal uso dos cartões corporativos desde 1998 não pode parar os trabalhos do Senado. "Não dá para o Senado ficar parado seis meses por causa da CPI até que venha a eleição municipal", disse o tucano. Ele defendeu ainda que a CPI não investigue os gastos de familiares do presidente Lula e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com cartões corporativos.  Veja também:CPI dos Cartões não pode parar Senado, defende PSB Governo indica aliados em postos-chave da CPI Cronologia da crise dos cartões corporativos  Entenda o que são os cartões corporativos do governo   Após denúncia, governo publica mudanças para cartões   "Não acho que é correto essa história de ir atrás da família do presidente", afirmou Guerra. "Nós topamos qualquer investigação mas não vamos fazer CPI para investigar família de ninguém", disse o presidente do PSDB destacando que conversou na segundacom Fernando Henrique sobre a CPI e que o ex-presidente não coloca obstáculos à investigação.  Daqui a pouco os parlamentares do PSDB e do DEM vão almoçar em uma churrascaria em Brasília para definir os próximos passos da CPI dos cartões.

Tudo o que sabemos sobre:
PSDBCPI dos cartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.