PSDB deve lançar candidato em fevereiro, diz FHC

O presidente Fernando HenriqueCardoso disse hoje que o fim de fevereiro é o momento adequadopara a definição do candidato tucano a presidente da Repúblicanas eleições de outubro. "Possivelmente depois do carnaval, nofinal de fevereiro", disse, ao ser questionado sobre quando oPSDB deve lançar seu candidato.Fernando Henrique visitou a prefeitura de Pardinho, acerca de 200 quilômetros de São Paulo, onde passa o réveillon nafazenda do amigo e ex-sócio Jovelino Mineiro.O presidente negou que o nome do ministro da Saúde, JoséSerra, já tenha sido escolhido no partido para disputar aPresidência da República. Segundo ele, há outros tucanos nacondição de pré-candidatos e caberá ao PSDB, no "momentoadequado", fazer a escolha."O PSDB, no momento adequado, dirá: nesse momento, acandidatura mais viável no PSDB é a do ministro José Serra",afirmou o presidente. "Mas (a candidatura de Serra) não foiainda lançada, ainda há outros candidatos, há muito tempo parauma decisão mais firme."Aliança - Fernando Henrique lembrou que seu governo temcomo base de sustentação uma aliança partidária, que inclui PMDBe PFL. Diante da aposta dos pefelistas na candidatura dagovernadora do Maranhão, Roseana Sarney (PFL), o presidentedefendeu a continuidade da aliança, mas deixou claro que apoiaráo candidato do PSDB."Presido um governo que tem uma coligação e essacoligação pode eventualmente voltar a se repetir ou não",observou Fernando Henrique."Voltando, para mim é melhor. Nãovoltando, eu saberei respeitar os interesses de cada um enaturalmente ficarei com o candidato do meu partido."Fernando Henrique afirmou que o governo federal não vaientrar no jogo eleitoral."O governo não apóia ninguém", disseele, antes de embarcar na caminhonete que o levou de volta daprefeitura até a sede da fazenda, a uma distância de 7quilômetros, a maior parte em estrada de terra. "As pessoas meconhecem, sabem que eu não sou pessoa nem de intransigência nemde perseguição, nem de utilização da máquina do Estado para obterfins políticos", garantiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.