PSDB define nesta terça posição sobre Renan, diz Virgílio

O líder do PSDB não antecipa se seu partido vai acompanhar a posição do DEM, que anunciou representação

06 de agosto de 2007 | 17h26

O líder do PSDB no Senado, senador Arthur Virgílio (AM), informou que os senadores do partido se reúnem nesta terça-feira, 6, para decidir a posição que tomarão em relação à denúncia de que o presidente do Senado, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), teria usado dois "laranjas" para comprar duas emissoras de rádio. Virgílio não antecipou se seu partido vai acompanhar a posição do DEM (ex-PFL), que já anunciou a decisão de representar contra Renan no Conselho de Ética da Casa.  Veja também: Cronologia do caso Renan   Procurador encaminha ao STF pedido de inquérito contra Renan   DEM anuncia representação contra Renan e se recusa a votar  Para formalizar essa decisão, o DEM reúne a bancada nesta terça. Segundo Virgílio, o Senado não pode mais conviver com um presidente obrigado a estar a todo momento prestando esclarecimentos sobre denúncias que são feitas contra ele. Ao chegar nesta segunda-feira, 6, ao Senado Federal, o presidente da Casa, Renan Calheiros, disse que a decisão do procurador geral da República, Antonio Fernando de Souza, de investigar as denúncias contra ele, atende a um pedido que fez há cerca de um mês.   "Eu pedi para o procurador me investigar. Eu me dispus a abrir meu sigilo", afirmou. Renan disse que não entende porque a Revista Veja insiste em fazer denúncias "infundadas" contras ele. O presidente do Senado referia-se à última reportagem da revista que afirma que Renan é dono oculto de duas emissoras de rádio de Alagoas que valem cerca de R$ 2,5 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.