PSDB cria comissão para debater prévias partidárias

Prefeito de Manaus embola meio de campo ao manter nome para disputar posição com governador de São Paulo

Thiago Faria, O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2017 | 14h55

BRASÍLIA - Com a insistência do prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, de se colocar como pré-candidato tucano à Presidência da República, a Executiva do PSDB decidiu criar uma comissão composta por 8 membros para discutir a viabilidade de prévias partidárias. Além de Virgílio, o recém-eleito presidente da sigla, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também disputa a indicação do partido.

+++ Para Alberto Goldman, prévia ampla no PSDB é 'tecnicamente inviável'

Farão parte da comissão o governador de Goiás, Marconi Perillo, o senador Tasso Jereissati, o ex-senador José Aníbal, os deputados Bruno Araújo (PE), Carlos Sampaio (SP), Yêda Crusius (RS) e o presidente da Juventude do PSDB, Marcos Saraiva.

+++ Arthur Virgílio exige mesmo espaço que Alckmin na convenção do PSDB

"Eles vão se debruçar sobre o melhor modelo. Eu defendo prévias com todos os filiados, precisamos verificar a possibilidade de fazê-la. Já fizemos duas vezes em São Paulo, quando todos os filiados votaram. No Brasil são mais de 5 mil municípios", disse Alckmin.

Para Virgílio, mesmo que a realização de prévias represente um alto custo para a legenda, ele pretende que o partido use a eleição interna para mobilizar seus filiados. "Não é custo, é investimento, é jogar dinheiro em democracia", disse. "Não aceito voto censitário, em que o voto de um parlamentar vale mais. Vamos falar com os filiados, que até então só têm carregado bandeira na eleição", afirmou o prefeito.

Segundo Alckmin, a expectativa é de que as prévias partidárias ocorram antes de março. Já Virgílio defendeu a consulta no primeiro domingo do mês, dia 4 de março.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.