PSDB busca unidade em SP com escolha de Floriano Pesaro para líder na Câmara

Em meio à indefinição sobre o futuro político do prefeito Gilberto Kassab, os vereadores do PSDB em São Paulo indicaram no início desta semana, por aclamação, o vereador Floriano Pesaro para liderar a bancada do partido na Câmara Municipal. O objetivo é unir as alas serristas e alckmistas da sigla para as eleições municipais de 2012.

André Mascarenhas , estadao.com.br

10 de fevereiro de 2011 | 14h15

A decisão foi tomada após uma reunião entre tucanos próximos a Geraldo Alckmin e o presidente da Câmara Municipal, vereador José Police Neto. Nas palavras de um tucano que participou das conversas, Floriano tem uma “excepcional relação” com o governador, além de ter trabalhado para José Serra na prefeitura e manter proximidade com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

A avaliação é de que o sucesso do PSDB nas eleições de 2012 depende de uma bancada de vereadores coesa. “Acho que os vereadores deram uma demonstração de união, e a unidade do PSDB é fundamental para o sucesso do partido em 2012″, disse Floriano ao Radar Político nesta quinta-feira, 10.

O aceno em direção ao governador veio após mais um afago de Alckmin no grupo ligado a Serra. Na semana passada, Alckmin indicou o deputado estadual Samuel Moreira, um aliado de Serra, para a liderança do governo na Assembleia Legislativa. Embora tenha gerado protestos entre alguns deputados, a escolha foi vista como estratégica para manter o partido unido em torno do projeto do governador. “Temos que olhar para o futuro”, disse uma fonte próxima a Alckmin.

As articulações devem garantir ao governador o comando do PSDB no processo de escolha do candidato tucano à prefeitura de São Paulo. Para tanto, ele espera eleger seu secretário de Gestão Pública, Julio Semeghini, para a presidência municipal do partido em março. Enquanto isso não acontece, Alckmin vai dando as cartas nos bastidores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.