PSDB articula para partilhar CPMF com Estados e municípios

O PSDB está articulando no Congressopara reduzir a alíquota da CPMF e conseguir a partilha dacontribuição com Estados e municípios. Esta é a posição dostucanos frente à expectativa do governo Lula de prorrogar aCPMF até 2011. "Com certeza, a CPMF não fica como está, na nossa opinião.Ou ela vai ser reduzida pela metade e partilhada com os Estadospara a saúde ou vai ser eliminada", disse Tasso Jereissati,presidente do PSDB a jornalistas durante seminário do partidorealizado em Belo Horizonte (MG). Diversos governadores já levaram ao presidente Luiz InácioLula da Silva a reivindicação de que a Contribuição Provisóriasobre Movimentação Financeira seja dividida. Atualmente, osrecursos abastecem apenas os cofres da União. O PSDB também propõe que a alíquota da CPMF, hoje em 0,38por cento, fique em no máximo 0,2 por cento. Apesar de Jereissati citar o apoio do Democratas, a siglatem se colocado a favor da extinção da CPMF, que termina no fimdeste ano. Nesta terça-feira, a Comissão de Constituição e Justiça(CCJ) da Câmara dos Deputados deve votar a constitucionalidadeda Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que prevê acontinuidade da contribuição. Depois, a proposta segue para umacomissão especial e então vai a plenário. O governador de Minas Gerais, Aécio Neves, que semprereivindicou parcela da CPMF para seu Estado, reiterou aexpectativa. "Eu, a princípio, acho que pode haver sim um processo deredução (da CPMF) com um compartilhamento com Estados emunicípios para investimentos na saúde, o que me parece maisadequado já que o governo federal, isso é notório, gasta muitomal".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.