PSDB aposta em virada de Aloysio nas pesquisas

O PSDB está apostando suas fichas na subida de Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) nas pesquisas de intenção de voto na corrida ao Senado Federal. Com a saída de Orestes Quércia (PMDB) da disputa, os correligionários da coligação de Geraldo Alckmin (PSDB), líder nas pesquisas para o governo de São Paulo, acreditam que os votos do peemedebista migrarão para Aloysio e ele poderá ficar com uma das duas cadeiras que São Paulo terá na Casa. Pelas atuais pesquisas, a corrida é liderada por Marta Suplicy (PT) e Netinho de Paula (PCdoB).

GUSTAVO URIBE E DAIENE CARDOSO, Agência Estado

18 de setembro de 2010 | 14h33

"O esforço é para tornar o candidato mais conhecido. Apesar de o Aloysio ter sido ministro, o nível de desconhecimento entre os eleitores é grande. Além do tempo na TV, o candidato tem como vantagem a grande aceitação entre os prefeitos, uma infantaria", diz Sidney Beraldo, coordenador da campanha de Alckmin. E complementa: "Nesse período final, a campanha será intensificada, principalmente em relação ao material de campanha, com cartazes e santinhos."

Na avaliação do sociólogo e professor do Insper Carlos Mello, até agora, a maioria das pessoas não está colocando muita atenção nas eleições ao Senado Federal. "O interesse deve crescer nas próximas duas semanas. É um problema de timing das eleições. Primeiro, as pessoas se preocupam com a disputa presidencial. Depois, pensam nos candidatos ao governo. Só em terceiro lugar, está a escolha para o Senado Federal." Por essa razão, ele acredita que há espaço para o candidato do PSDB ao Senado crescer.

Essa também é a opinião do governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB). Para ele, "sem dúvida o Aloysio vai subir, ele tem uma história para apresentar". Na opinião do governador, as últimas semanas serão decisivas, uma vez que o eleitorado só decide em quem vai votar (para os cargos legislativos) na última hora.

Para o cientista político Rubens Figueiredo, seria importante para o governo do Estado ter no Senado alguém do seu partido. E questiona o fato de os paulistas estarem elegendo Alckmin e, até o momento, de acordo com as pesquisas de intenção de voto, deixarem Aloysio Nunes fora do Senado. "Seria natural que se elegesse alguém do PSDB (para o Senado)", reiterou.

Na mesma linha, o cientista político Humberto Dantas, conselheiro do Movimento Voto Consciente, também avalia que há muito eleitor paulista indeciso sobre o voto para senador. Ele diz que Aloysio precisa investir no eleitorado conservador. "Ele está preocupado agora com o Netinho, quando precisa fazer uma campanha anti-PT", disse. Ele acredita que em duas semanas é possível Aloysio crescer nas pesquisas e garantir uma das vagas no Senado Federal.

Num contraponto à avaliação do PSDB, o cientista político Marco Antônio Carvalho Teixeira, pesquisador da PUC e FGV de São Paulo, diz que o PSDB terá uma tarefa árdua para tentar eleger Aloysio ao Senado Federal neste pleito. Para Carvalho Teixeira, muitos eleitores já consolidaram o seu voto, inclusive para o legislativo. "O candidato está quase 16 pontos porcentuais atrás da Marta. É um oceano que ele tem de atravessar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.