PSDB ainda estuda se recorre contra programa do PT

Um dia após o PT ter apresentado programa em cadeia de rádio e TV, considerado pela oposição mais um episódio de "grave desrespeito à Lei Eleitoral", o PSDB tinha dúvidas se recorreria novamente ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Já o aliado DEM decidiu não ingressar com recurso junto à Justiça Eleitoral, considerando que a campanha entrou em nova fase. Pela legislação, a propaganda eleitoral em rádio e TV só é autorizada a partir de 17 de agosto.

AE, Agência Estado

15 Maio 2010 | 08h31

Anteontem, por decisão do TSE - que ocorreu após exibição da propaganda do PT na TV, a legenda perdeu direito de transmitir o programa partidário no primeiro semestre de 2011 e terá de pagar multa de R$ 20 mil. Dilma recebeu multa de R$ 5 mil. As punições por campanha antecipada se referem ao programa que foi ao ar em dezembro, e não ao de quinta-feira, quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva comparou a trajetória de Dilma à do líder sul-africano Nelson Mandela, que lutou contra o apartheid. A oposição tentou impedir a veiculação da propaganda, em rede nacional, mas o pedido não foi julgado a tempo pelo TSE.

O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), disse não ser o caso de recorrer. "O DEM não vai entrar na Justiça Eleitoral. Estamos em outro momento da campanha. É diferente da ocasião anterior quando a Dilma era ministra", afirmou. A negativa do DEM e a dúvida do PSDB foram encaradas, nos bastidores, como sinal de que os dois partidos poderão usar em seus programas partidário a estratégia petista. O DEM tem espaço garantido em cadeia nacional no próximo dia 27. Já o PSDB exibirá seu programa em 17 de junho, depois de sua convenção partidária, em 12 de junho.

O advogado do PSDB, Ricardo Penteado, criticou a postura do presidente e da sua candidata. "A essa altura, esse dano, acho irreparável", anotou. "Mas vamos estudar medidas. Não sei se é o caso de ingressar (na Justiça Eleitoral)." Secretário de comunicação do PT, o deputado André Vargas (PR) disse que as críticas ao programa do partido fazem parte da "tática deles (oposição) de tirar o presidente Lula da eleição". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mais conteúdo sobre:
eleições PSDB PT

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.