PSDB acionará conselho de ética depois de denuncias sobre CPI da Petrobras

Em Porto Alegre, candidato Aécio Neves classifica denúncias como 'enorme desrespeito'

Lucas Azevedo , Especial para o Estado de S. Paulo

02 de agosto de 2014 | 15h48

Em visita a Porto Alegre, o candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, comentou denúncia da revista Veja, deste final de semana. O tucano afirmou que seu partido acionará o conselho de Ética do Senado para apurar as supostas irregularidades.

"São denuncias de extrema gravidade, que envolvem senadores, servidores da Petrobras e da presidência. Se isso ocorreu é um enorme desrespeito", afirmou Aécio, ao lado da candidata ao governo gaúcho, senadora Ana Amélia Lemos (PP), para jornalistas, em um hotel em Porto Alegre.

Questionado sobre o embate judicial que a campanha deste ano iniciou - com solicitações à justiça de retirada de propagandas do ar, por exemplo -, Aécio afirmou: "Essa campanha tem sido justicializada pela dificuldade que o PT tem de separar o publico do privado. Não queremos disputar nos tribunais, mas nas ruas. Mas vamos usar a justiça quando necessário."

Questionado sobre sua preocupação com os resultados das ultimas pesquisas no RS, que mostraram que sua candidatura ainda não deslanchou (Ibope mostra Dilma com 43% e Aécio com 23%), o tucano minimizou a preocupação, dizendo que seu nome ainda é pouco conhecido.

"Há um grande nível de desconhecimento do candidato Aécio e suas propostas. Só quando começar a campanha na TV as pessoas vão conhecer. A aceitação que a Ana Amélia vem tendo me estimula. Estamos crescendo em todas as cidades brasileiras, e presidente ou está em estagnação ou em queda. Vou fazer campanha nas ruas, olhando para as pessoas, ao contrário da presidente, que está sitiada. [Dilma] Não consegue fazer qualquer evento sem segurança e misturando o público com o privado."

A agenda de Aécio em Porto Alegre segue na tarde deste sábado. No ginásio Gigantinho, do Internacional, ele faz um comício a militantes, antes de retornar para minas gerais no fim da tarde

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.