PSD pode ficar com vaga ao Senado na chapa tucana

Com o acerto de que o PSB ficará na vice do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), na disputa pela reeleição do tucano, a vaga na chapa para o Senado caminha para ficar com o PSD. O PSB paulista oficializou ontem em convenção apoio à reeleição de Alckmin.

ERICH DECAT, Agência Estado

21 Junho 2014 | 09h18

Uma decisão do PSD deve ocorrer apenas no próximo dia 30, prazo final para as definições das alianças e do lançamento dos candidatos que disputarão o próximo pleito em outubro. Um encontro de integrantes do PSD paulista deve ocorrer na próxima quinta-feira (26) para analisar o melhor caminho no Estado. Também está no radar de parte da legenda uma composição com a candidatura ao governo de Paulo Skaf (PMDB), segundo nas pesquisas de intenção de votos atrás de Alckmin. Apesar dessa alternativa, a tendência maior hoje é de o PSD fechar com os tucanos em São Paulo.

Caso se confirme a aliança, um dos nomes lembrados para disputar a vaga ao Senado é o do presidente nacional da legenda, Gilberto Kassab, que chegou a ser cogitado para vice de Alckmin antes do acordo com o PSB.

Se no Estado de São Paulo o futuro do PSD está indefinido, por outro lado, no âmbito nacional, a legenda deve oficializar na próxima quarta-feira em convenção o apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT). Kassab participa hoje da convenção nacional do PT em que a legenda lançará oficialmente a candidatura de Dilma. Segundo o presidente nacional do PT, Rui Falcão, a confirmação da ida do ex-prefeito de São Paulo foi feita na última quarta-feira quando os dois conversaram por telefone.

Mais conteúdo sobre:
eleições PSD PSB PSDB campanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.