PSD espera atrair Kátia Abreu e Raimundo Colombo

O deputado federal Guilherme Campos (SP), que deixará o DEM para ingressar no PSD de Gilberto Kassab, afirmou hoje que a nova legenda espera contar com a adesão da senadora Kátia Abreu (DEM-TO), do ex-deputado federal Índio da Costa (RJ) e do governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo (DEM). "A Kátia será uma grande aquisição e as negociações com o Índio estão bem encaminhadas. Já o Colombo tem um cenário complexo, mas as chances são altíssimas", disse Campos, que é um dos principais articuladores da criação do novo partido.

DAIENE CARDOSO E GUSTAVO URIBE, Agência Estado

21 de março de 2011 | 15h38

De acordo com Campos, há pelo menos 200 políticos comprometidos em assinar o ato jurídico de criação civil do novo partido, quando são necessárias apenas 101 assinaturas. Este é o primeiro passo para registro da legenda em cartório. Segundo ele, a reunião de criação oficial do partido deve ocorrer em menos de um mês, já que a nova legenda aguarda a definição de alguns aliados. "Faltam alguns cenários regionais que precisam ser fechados", disse Campos.

No ato de hoje de lançamento do PSD, além de Campos, participou o deputado federal Walter Ihoshi (DEM-SP) - ambos deveriam integrar a nova Executiva Nacional do DEM, escolhida na semana passada. Mas, como os deputados integrarão o PSD, comunicaram ao DEM que não tomarão posse da Executiva. "Saímos para não gerar nenhum desconforto", justificou Campos.

A lista dos primeiros signatários do novo partido será divulgada até o final do dia de hoje. Além do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e do vice-governador paulista, Guilherme Afif Domingos, o PSD já conta com a adesão de dez deputados federais (cinco de São Paulo e cinco, da Bahia), além do vice-governador baiano Otto Alencar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.