PSB vai lançar nota em que pedirá afastamento de Cunha

Segundo o líder do partido, Fernando Bezerra Filho, há 'pressão grande' da sociedade e de integrantes da legenda para adoção de postura mais dura com relação ao peemedebista

Igor Gadelha, O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2015 | 18h02

Atualizada às 13h14 de 18 de novembro com novas informações

BRASÍLIA - A bancada do PSB na Câmara vai lançar, entre esta terça-feira, 17 e quarta-feira, 18, nota apoiando o parecer pela admissibilidade do processo contra o presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), no Conselho de Ética protocolado ontem pelo relator do caso no colegiado, deputado Fausto Pinato (PRB-SP). Segundo apurou o Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, o partido também deverá reafirmar, no documento, o pedido de afastamento do peemedebista do cargo, já defendido pela sigla em nota conjunta divulgada em 10 de outubro por partidos da oposição, como DEM, PSDB e PPS.

A decisão do PSB foi tomada durante reunião da bancada na tarde desta terça-feira. Mais cedo, o líder do partido na Câmara, deputado Fernando Bezerra Filho (PE), afirmou que havia uma "pressão grande" da sociedade e de membros da sigla para que o PSB subisse o tom em relação a Cunha. Apesar de ter assinado a nota da oposição lançada em outubro, o PSB não vinha adotando discursos fortes contra o presidente da Câmara. O tom mais crítico ficava restrito ao deputado Júlio Delgado (MG), que foi adversário do peemedebista na última eleição para Presidência da Câmara.

Estratégia. A nota lançada pelo PSB faz parte da estratégia articulada com outros opositores de Cunha. No caso do PPS, a bancada do partido deverá se reunir nesta quarta-feira para decidir o que deve fazer.  De acordo com o líder da sigla na Câmara, Rubens Bueno (PR), a "tendência" é que a legenda rompa oficialmente com o peemedebista, seguindo o PSDB, que anunciou rompimento em plenário na semana passada, surpreendendo até mesmo opositores. "Vamos decidir isso amanhã. Tem que ser uma coisa organizada", afirmou Bueno. 

Mais conteúdo sobre:
PSB Eduardo Cunha PPS

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.