Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

PSB, Rede e PSOL pedem cassação de Rocha Loures na Câmara

Partidos consideram haver 'provas fartas' contra parlamentar citado em delação da JBS

Daiene Cardoso, O Estado de S.Paulo

22 de maio de 2017 | 20h14

BRASÍLIA - Rede, PSOL e PSB protocolaram nesta noite de segunda-feira, 222, no Conselho de Ética da Câmara, representação por quebra de decoro parlamentar contra o deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). A partir da delação premiada do empresário Joesley Batista, da JBS, os partidos consideram que há "provas fartas", incluindo áudio e vídeo, que podem levar à cassação do mandato do parlamentar.

O peemedebista foi citado na delação por supostamente ter atuado no Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em troca de propina. A representação sustenta que Rocha Loures recebeu dinheiro não contabilizado para defender interesses privados na administração pública. No diálogo captado pelo empresário, Temer indica o deputado para resolver um assunto da J&F (holding que controla a JBS) no Cade. "Não temos nenhuma dúvida de que houve quebra de decoro", disse o deputado Alessandro Molon (Rede-RJ).

Em outra gravação entregue aos procuradores, feita em vídeo dias depois, o parlamentar foi flagrado recebendo uma mala com R$ 500 mil que teria sido enviada por Joesley. Tanto a conversa com Temer quanto a entrega do dinheiro teriam ocorrido em março, mês em que Rocha Loures assumiu o mandato na vaga deixada pelo atual ministro da Justiça, Osmar Serraglio (PMDB). Loures foi assessor especial da Presidência e era suplente de Serraglio. Quando Temer ainda era vice, era Loures quem cuidava de sua agenda.

A representação será encaminhada à Secretaria-Geral da Mesa Diretora, que devolverá o pedido ao Conselho para instauração do processo. O primeiro procedimento no colegiado será o sorteio do relator da representação. 

Tudo o que sabemos sobre:
JBS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.