PSB promete não criar desconfortos a Marina nos Estados

O líder do PSB no Senado e candidato ao governo do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, afirmou nesta terça-feira, 19, que o partido não vai criar situações de desconforto para a ex-ministra Marina Silva nos palanques estaduais onde houve problemas na formação de alianças, como em São Paulo. "Alianças conjuntas só acontecem quando os candidatos se sentem confortáveis", disse. "Ela (Marina) fará campanha com o partido. Não vamos obrigá-la a fazer algo que ela não se sinta à vontade", declarou.

RICARDO DELLA COLETTA, RICARDO BRITO, DAIENE CARDOSO E NIVALDO SOUZA, Estadão Conteúdo

19 de agosto de 2014 | 14h49

O candidato disse que, em São Paulo, a coligação com o PSDB será mantida, mas sinalizou que o material gráfico com Marina poderá não conter a imagem do governador Geraldo Alckmin. Dessa forma, a possibilidade explicada pelo senador seria a de os candidatos no Estado a cargos legislativos pelo PSB ficarem livres para produzir material com o Alckmin, desde que sem a imagem de Marina, se assim solicitar a ex-senadora.

Questionado sobre uma possível carta de compromissos que seria apresentada à ex-ministra, Rollemberg disse que a aliança foi formada com base em um programa de governo. "O grande entendimento foi o programa de governo e é isso que deve reger (a aliança)".

O senador participou de missão de sétima dia na Catedral de Brasília pela morte do presidenciável Eduardo Campos, na semana passada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.