PSB pode transformar seminários em projeto de governo

O PSB vai publicar, até o final do ano, o resultado da discussão que começa a ser realizada, através de sua fundação, João Mangabeira, em seis seminários sob o tema "Diálogos do Desenvolvimento". O documento a ser gerado poderá servir de base para um projeto de governo a ser apresentado numa eventual candidatura do governador Eduardo Campos à presidência da República.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

14 Abril 2013 | 20h17

Presidente nacional do PSB, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, afirmou que o objetivo do debate não é um plano de poder. "Será uma contribuição de conteúdo com um olhar sobre o Brasil neste instante, num esforço a ser levado também para o governo (federal)", disse ele, em entrevista, neste domingo, durante solenidade que marcou a entrega da construção (98% concluída) do estádio Arena da Copa, no município de São Lourenço da Mata, para a fase de testes da sua operacionalização.

"O PSB sempre fez isso, tem essa característica de fomentar o debate", afirmou Campos. "O tema deste ano é o desenvolvimento, que é a grande preocupação da presidente Dilma, minha e de todos os brasileiros". A meta, segundo ele, é "ajudar efetivamente o País a ganhar 2013 e retomar o crescimento, preservar o mercado de trabalho e conter a inflação".

Reiterou que o Brasil "teve dois anos que não foi o que desejávamos" e que a tarefa do seu partido é "discutir, conversar, ouvir setores do governo e de fora do governo, da academia, dos empresariado e das organizações dos trabalhadores, sem viés eleitoral". "Não devemos interditar este debate", defendeu.

O primeiro seminário do "Diálogos do Desenvolvimento" foi realizado na Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio, no último dia 6, e girou em torno da política social. O governador voltou a garantir que o PSB está na base de apoio do governo da presidente Dilma, que é fruto de um "projeto que o partido ajudou a construir".

Mais conteúdo sobre:
eleições 2014 PSB

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.