PSB pode ter palanque para Aécio e Campos em MG

Integrantes da cúpula do PSB não descartam a possibilidade de o partido formar um palanque duplo em Minas Gerais para atender às possíveis candidaturas ao Planalto do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e do senador Aécio Neves (PSDB). Minas é o segundo maior colégio eleitoral do País, atrás apenas de São Paulo. "Ninguém está impondo exclusividade de palanque", disse o líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque (RS), ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.

ERICH DECAT, Agência Estado

04 Junho 2013 | 20h57

"Essa possibilidade de ter dois palanques não está descartada. Assim como onde houver necessidade", considerou o primeiro-secretário do PSB, Carlos Roberto Siqueira de Barros. A avaliação dos dirigentes do partido ocorre um dia após encontro de líderes de oito dos cerca de 20 partidos que integram a base do governo do tucano Antonio Anastasia em Minas. Na ocasião, eles criaram uma espécie de força-tarefa pluripartidária para trabalhar pela provável candidatura de Aécio.

Segundo o presidente do PSDB-MG, deputado federal Marcus Pestana, uma das "tarefas do movimento" será buscar o apoio do prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB). A possível dobradinha entre PSB e PSDB ainda deverá aguardar uma definição do próprio Lacerda em disputar o governo do Estado. Uma resposta à cúpula do PSB era aguardada no final de maio, mas não veio.

A expectativa passou a ser de que Lacerda se posicione até setembro, mês em que se encerram as possíveis migrações entre aqueles que pretendem disputar uma vaga nas eleições de 2014. Caso o prefeito não saia como candidato ao governo, o PSB trabalha com a possibilidade de lançar o deputado federal Leonardo Quintão, que deixaria o PMDB para ingressar na legenda.

A mudança de partido tem como pano de fundo a insatisfação do parlamentar com o Palácio do Planalto e o não cumprimento de uma promessa de ele ingressar na equipe ministerial de Dilma. A promessa teria ocorrido na eleição municipal do ano passado, quando Quintão retirou a candidatura a prefeito de Belo Horizonte a favor do candidato do PT, Patrus Ananias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.