PSB paulista ignora Marina e aprova aliança com Alckmin

Mesmo contra a vontade da ex-ministra Marina Silva, o PSB de São Paulo deve aprovar hoje (6) o apoio da sigla ao projeto de reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Uma reunião extraordinária foi convocada pelo presidente do partido no Estado, deputado Márcio França, para formalizar a opção da sigla pela coligação. Segundo França, cotado para ser vice de Alckmin, o PSB vai apresentar um documento com sugestões programáticas que devem ser adotadas pela próxima gestão do tucano.

ISADORA PERON, Agência Estado

06 Junho 2014 | 09h29

A decisão do diretório estadual ignora o acordo feito entre Marina e o pré-candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, para que a sigla lançasse candidatos próprios nos maiores colégios eleitorais do País, especialmente em São Paulo.

Ontem (5), após participar de um encontro com ambientalistas em São Paulo ao lado da ex-ministra - pré-candidata a vice na chapa do PSB -, Campos afirmou que continuava trabalhando pela tese da candidatura própria, mas ressaltou que não iria passar por cima da decisão das lideranças estaduais.

Marina disse que era "persistente" e que a dupla apostava no "convencimento" e não na "imposição" para chegar a uma solução em São Paulo. Segundo o presidenciável, a discussão sobre o assunto só vai terminar no dia da convenção estadual - 21 de junho. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.