PSB-MG consolida apoio à candidatura de Anastasia ao governo

A legenda oficializa o chamado "Dilmasia" no Estado, pois os socialistas apoiam em nível nacional a presidenciável petista

Eduardo Kattah, de O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2010 | 14h10

BELO HORIZONTE - O PSB-MG confirmou nesta quinta-feira, 17, o apoio formal ao governador mineiro Antonio Anastasia (PSDB) na sucessão estadual. Com a decisão, já esperada, a legenda oficializa o chamado "Dilmasia" no Estado, pois os socialistas apoiam em nível nacional a presidenciável petista Dilma Rousseff. Informalmente, o PSB mineiro também dará apoio ao ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), candidato ao Senado, ao mesmo tempo em que pedirá votos para o ex-governador Aécio Neves (PSDB) - numa adesão ao que já é chamado de movimento "Pimentécio".

 

Aécio, que se aliou a Pimentel na eleição de 2008 para eleger o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda (PSB), fez questão de participar do anúncio. Os socialistas estavam inclinados a marchar com o PT na eleição mineira caso o ex-prefeito conseguisse a indicação como candidato a governador. Como Pimentel acabou preterido na disputa com o senador Hélio Costa (PMDB), o caminho natural do PSB - que tem pequena participação na gestão tucana no Estado - foi optar pela coligação formal com o PSDB, levando consigo o tempo na propaganda eleitoral gratuita. Em razão da lei eleitoral, Lacerda não poderá aparecer no programa fazendo campanha para Pimentel.

 

"É um encaminhamento natural. Nós estivemos juntos ao longo desses oito anos e continuaremos juntos nos próximos quatro anos trabalhando por Minas Gerais", disse o ex-governador, para quem o PSB e o PSDB "estão fadados" a construir um projeto nacional. "Sinaliza também para o Brasil, quem sabe para a condução de uma nova aliança."

 

Lacerda disse que a presença nos dois palanques "não é um problema insolúvel". "Existem formas de planejar a participação nas duas campanhas sem nenhum conflito."

 

A decisão deve ser homologada na convenção estadual do PSB, no próximo dia 27. O apoio aos tucanos, porém, ainda enfrenta resistência do ex-ministro do governo Lula, Walfrido dos Mares Guia, filiado ao partido e engajado na campanha de Dilma em Minas. "Aqui estão as principais lideranças do partido. Obviamente que você não consegue a unanimidade", comentou o presidente do PSB-MG, deputado estadual Wander Borges. "Esperamos que ele (Walfrido) também abrace o projeto do PSB mineiro."

 

A exemplo do PSB, o PRB do vice-presidente José Alencar ameaça abandonar o barco da base de sustentação do governo Lula em Minas após a direção nacional do PT impor o nome de Costa como cabeça de chapa. O PR liberou os filiados e os deputados federais já manifestaram apoio a Anastasia.

 

Vice

 

Após o encontro político no Palácio Mangabeiras, Aécio evitou tratar da polêmica envolvendo a definição do vice do presidenciável tucano José Serra. "O Serra está cuidando bem disso. Nós temos um prazo e vamos cumprir esse prazo. Não há açodamento. Esse açodamento é muito mais da imprensa e talvez de alguns candidatos do que do próprio Serra. Conversei com ele longamente ontem (anteontem) à noite. As coisas estão caminhando bem", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.