PSB lança pré-candidatura de Skaf ao governo de SP

Ao som de "O Skaf chegou para te falar o que ninguém te falou", verso do jingle criado para sua campanha, Paulo Skaf foi recebido hoje pela cúpula do PSB no lançamento de sua pré-candidatura ao governo de São Paulo.

FLAVIA TAVARES, Agência Estado

21 Maio 2010 | 22h27

Algumas ausências foram sentidas no evento, como a de Ciro Gomes, que está nos Estados Unidos; a de seu irmão, o governador do Ceará, Cid Gomes; a de Luiza Erundina, que se opõe a um empresário como candidato socialista; e a de Gabriel Chalita, também recém-filiado ao PSB.

Mas o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, estava lá, bem como Márcio França, presidente da legenda em São Paulo. E, em seus discursos, insistiram em apresentar Skaf como a alternativa à polarização entre PSDB e PT no Estado - embora o PSB tenha retirado a "alternativa" Ciro Gomes da disputa presidencial. "Está na hora de não fazer com arrogância, de congregar e ouvir outros", alfinetou Campos.

Skaf ironizou os 2% que tem apresentado em pesquisas de intenção de votos. "Se eu tivesse 20%, representaria o velho", declarou. Depois do evento, reafirmou o que Márcio França já havia dito sobre a aliança nacional com o PT. "Vamos apoiar na medida em que recebermos apoio. Se a Dilma quiser, será bem-vinda em meu palanque", disse Skaf, presidente da Fiesp até dia 31 de maio, quando se licencia.

O responsável pelo jingle é Duda Mendonça, que já prestou uma consultoria à Fiesp e, agora, contratado pelo PSB, comanda o marketing da campanha de Skaf. "Estou negociando outras campanhas", afirmou, revelando que teria mais de dez encaminhadas. E lamentou ter pouco tempo de TV para promover Skaf, que, até agora, só tem aliança com o PSL.

Sobre as propagandas de PSDB e PT que foram ao ar recentemente, Duda elogiou ambas, mas disse acreditar que, por enquanto, quem presta atenção é só político e jornalista. "O povo quer saber é porque o Ganso não foi convocado", brincou.

Mais conteúdo sobre:
eleição sp paulo skaf

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.