PSB apresenta pedido de impeachment do governador Arruda

O deputado distrital Rogério Ulysses, filiado ao partido, é citado no inquérito da Operação Caixa de Pandora

03 de dezembro de 2009 | 16h04

Mais um partido protocolou na Câmara Legislativa pedido de impeachment do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, e de seu vice Paulo Octávio - ambos do Democratas. Nesta quinta-feira, 3, foi a vez do diretório do PSB no DF, conforme nota divulgada no site da legenda. Agora, já são sete pedidos de afastamento de Arruda, acusado de comandar um suposto esquema de pagamento de propina para parlamentares de sua base aliada, em troca de apoio político.

 

Veja também:

linkDF contratou Uni Repro com ata de preços de Kassab

linkEmpresário deve depor em SP

linkDEM quer livrar vice para ter plano B na disputa de 2010

linkLula 'ressuscita' Constituinte para reforma política

link'Eu não farei um juízo amoral'

linkNo PSDB, aumenta pressão por 'chapa puro-sangue'  

lista Leia tudo o que foi publicado sobre o mensalão no DF

blog  JOÃO BOSCO acompanhe o caso; veja vídeos, oração da propina e mais 

especial Entenda as acusações contra o governador do Distrito Federal

documento Leia o inquérito da Operação Caixa de Pandora

 

O presidente em exercício da Casa, Cabo Patrício (PT), leu na última quarta-feira, 2, os seis pedidos anteriores protocolados pelo PT, PSOL, dois advogados e uma organização evangélica - dando início ao andamento dos requerimentos na Câmara. Os pedidos foram encaminhados à Procuradoria do Legislativo, que tem até hoje para apresentar parecer, conforme determinação de Patrício.

 

O PSB deixou a base aliada ao governo de Arruda. O deputado distrital Rogério Ulysses, filiado ao partido, é citado no inquérito da Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, que revelou suposto esquema de pagamento de propina. Ulysses foi um dos alvos dos mandados de busca e apreensão expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

 

O deputado pediu afastamento da presidência da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e nega ter participado no esquema. Em nota, o PSB garante rigor na investigação sobre o suposto envolvimento de Ulysses.

 

Com informações da Agência Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.