Provão dos professores é marcado para janeiro

O primeiro Exame Nacional de Certificação de Professores, o provão dos professores de 1ª a 4ª série do ensino fundamental, será realizado em janeiro, anunciou o ministro da Educação, Cristovam Buarque, durante teleconferência "Encontro Nacional de Valorização do Professor". Os aprovados receberão uma bolsa equivalente a 20% do salário, por um período de cinco anos, como estímulo à formação continuada. Como o salário médio no País é de R$ 530, a bolsa deverá ser de R$ 106. A Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) é contra condicionar o pagamento da bolsa à aprovação no provão. A presidente da CNTE, Juçara Vieira, também presente à teleconferência, defende tratamento aos professores semelhante ao dado aos alunos: primeiro acumulam-se informações, depois aplicam-se os exames. Juçara prevê que aplicar o provão do professor antes de promover cursos de formação acarretará prejuízos, principalmente, aos que trabalham no interior do País, recebem pouco e não tiveram condições de se qualificar melhor. "O governo premiará aquele que se beneficiou das desigualdades sociais e não ajudará quem realmente necessita", criticou.O ministro discorda, justificando que governos estaduais e municipais vêm promovendo cursos de aperfeiçoamento para professores há anos. Portanto, diz, esperar mais um ano para começar a pagar a bolsa significaria penalizar os que já passaram por estes cursos. O provão dos professores das primeiras séries do ensino fundamental é voluntário. As inscrições serão em novembro e a prova em janeiro. A bolsa só será paga meses depois.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.