Protógenes vai assumir cargo burocrático na PF

Direx é a segunda mais importante unidade da instituição e funciona atrelada ao gabinete do diretor da PF

AE, Agencia Estado

05 de dezembro de 2008 | 08h43

O destino do delegado Protógenes Queiroz, mentor da Operação Satiagraha, é a Diretoria Executiva (Direx) da Polícia Federal (PF). A Direx é a segunda mais importante unidade da instituição. Funciona diretamente atrelada ao gabinete do diretor-geral da PF. Mas isso não significa que Protógenes está sendo promovido. Ele deverá exercer funções burocráticas.Na Diretoria Executiva ele estará sob olhares atentos de superiores que irritou com acusações sobre suposto boicote à operação contra o banqueiro Daniel Dantas. Roberto Troncon é o delegado-chefe em exercício dessa diretoria. Ele participou da polêmica reunião que culminou com o afastamento de Protógenes do caso, em julho.O encontro, do qual participaram 12 delegados federais, foi gravado. São quase três horas de áudio. Na semana passada, Protógenes foi afastado da Diretoria de Inteligência Policial (DIP) por ordem do delegado Daniel Lorenz, chefe do setor. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.