Protógenes: Satiagraha revelou 'contaminação' do Estado

Ex-chefe da Operação Satiagraha da Polícia Federal (PF), o delegado Protógenes Queiroz voltou a criticar hoje o que chamou de "aparato estatal" mobilizado para defender o sócio-fundador do Grupo Opportunity, Daniel Dantas. Segundo ele, as críticas a seu trabalho na operação se devem ao fato de ter descoberto corrupção nas relações do banqueiro com o Estado. Para ele, por mais que queiram desmerecer seu trabalho, não houve quem negasse que Dantas desviou bilhões de dólares. "Toda a investigação revela uma trama que praticamente contaminou todo o aparato estatal." Segundo o delegado, "o País atravessa uma crise institucional muito séria" e "se não fosse este envolvimento, seria só mais um caso. Mas o caso do Opportunity revela atores que saíram em defesa do investigado, notadamente utilizando instrumentos jamais vistos na história jurídica do Brasil". Ele deu as declarações no gabinete do senador José Nery (PSOL-PA), onde foi recepcionando como sendo uma nova liderança política. Passaram por lá para cumprimentá-lo, entre outros, os senadores Pedro Simon (PMDB-RS) e Eduardo Suplicy (PT-SP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.