Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Protógenes 'pode ter cometido irregularidades', acusa Tarso

Ministro disse que um inquérito e uma sindicância na Polícia Federal já levantaram indícios de ilegalidades

Vannildo Mendes, de O Estado de S. Paulo,

10 de março de 2009 | 19h47

O ministro da Justiça, Tarso Genro, afirmou nesta terça-feira, 10, que o delegado Protógenes Queiroz, "pode ter cometido graves irregularidades" à frente da Operação Satiagraha, que prendeu o banqueiro Daniel Dantas e mais 14 pessoas em julho do ano passado.   Veja também: Associação de delegados criticam vazamento da Satiagraha  'Sou candidato a carcereiro de Daniel Dantas', diz Protógenes  Justiça quebra sigilo de Protógenes  Novas acusações a Protógenes não mudam investigação, diz PF  Em blog, Protógenes se defende de acusações de revista Operação Satiagraha As prisões de Daniel Dantas Os alvos da Operação Satiagraha   Em entrevista no Clube do Exército, após receber medalha de mérito em segurança pública, o ministro disse que um inquérito e uma sindicância na Polícia Federal já levantaram indícios de ilegalidades atribuídas ao delegado e que o caso não ficará impune. "Enquanto eu estiver no Ministério da Justiça e o Luiz Fernando (Corrêa) for diretor da PF, não tem contemplação com quem age fora da regra", avisou.   O resultado das investigações será divulgado ainda este mês, segundo informou a Direção-Geral da PF. O inquérito pode resultar em processo criminal contra Protógenes por prevaricação, vazamento de dados sigilosos e abuso de poder. Entre as irregularidades, segundo reportagem da Revista Veja desta semana, estariam supostos grampos ilegais contra ministros, parlamentares e autoridades.   Já a sindicância pode levar à abertura de processo disciplinar, cujas penas vão de advertência à demissão a bem do serviço público. "A PF tem que dar exemplo para a sociedade no sentido que ela também sabe cortar na própria carne", enfatizou o ministro. "Do nosso ponto de vista, qualquer policial de qualquer hierarquia que for suspeito de tomar atitudes que não estão dentro da norma, será investigado e, se for o caso, punido exemplarmente".   Genro explicou que Protógenes foi afastado do comando da Satiagraha justamente devido a esses supostos desvios. O ministro garantiu que a instituição não perdeu o rumo e se manterá firme no combate ao crime organizado. "Está sendo feito um trabalho para que as investigações estejam cada vez mais dentro da lei", garantiu. "Em relação a Daniel Dantas (o inquérito) está cada vez mais profundo, mais técnico, sem espetaculosidade", observou.   Em nota publicada no seu blog, Protógenes rebateu as acusações e qualificou a reportagem da revista de "mentirosa", além de produzida de forma "bandida e irresponsável".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.