Protógenes não deve integrar Ministério dos Esportes

Delegado afastado da PF irá concorrer nas eleições de 2010 e teria que sair do governo em abril

Carol Pires, da Agência Estado,

23 de dezembro de 2009 | 13h43

O ministro dos Esportes, Orlando Silva, afirmou nesta quarta-feira, 23, em entrevista coletiva, que o delegado afastado da Polícia Federal, Protógenes Queiroz, não deve mais participar da Secretaria do Futebol, estrutura que o governo federal quer criar, cujo projeto está em tramitação no Congresso Nacional. Segundo Orlando Silva, o pedido de cessão de Protógenes Queiroz aos quadros do Ministério dos Esportes foi encaminhado ao ministro da Justiça, Tarso Genro, no dia 1º de setembro. Mas, segundo ele, o Ministério da Justiça nunca respondeu ao pedido.

Como Protógenes Queiroz se filiou recentemente ao PCdoB e pretende concorrer a uma vaga federal nas eleições de 2010, não poderá participar do governo a partir de abril enquanto candidato. "Solicitei em 1º de setembro a cessão do delegado ao Ministério da Justiça. De lá pra cá, ele se filiou a um partido político e talvez tenha ficado velho o pedido de cessão. Quem for candidato tem que se desincompatibilizar em abril. Imagino que talvez ele não faça mais parte do ministério por falta de tempo de fazer o trabalho que ele iria fazer aqui", explicou Silva.

Protógenes Queiroz ganhou notoriedade nacional após comandar a Operação Satiagraha, que culminou com a prisão do investidor Naji Hajas, do banqueiro Daniel Dantas, e do ex-prefeito de São Paulo Celso Pitta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.