Protógenes fez queixa formal de obstrução, diz MPF

Uma nota divulgada hoje pelo Ministério Público Federal (MPF) informa que o delegado da Polícia Federal (PF) Protógenes Queiroz, que coordena a Operação Satiagraha, queixou-se formalmente ao órgão de que ocorreu obstrução às investigações sobre um suposto esquema de desvio de verbas públicas, corrupção e lavagem de dinheiro, envolvendo, entre outros, o sócio-fundador do Grupo Opportunity, Daniel Dantas. Os procuradores da República Anamara Osório e Rodrigo De Grandis solicitaram ao MPF a abertura de procedimento administrativo de controle externo da atividade policial para apurar denúncia do delegado. Segundo o MPF, a representação do delegado foi entregue ontem.De acordo com o MPF, a representação foi distribuída ao procurador da República Roberto Antonio Dassié Diana, coordenador do grupo de controle externo do MPF de São Paulo. O comunicado destaca que o delegado Queiroz reclamou da falta "de recursos humanos e materiais para a condução da investigação".O MPF informou que no começo da semana o diretor de Combate ao Crime Organizado da PF, Roberto Troncon, se comprometeu a entregar ao órgão a íntegra de gravação de uma reunião ocorrida na PF em São Paulo. No encontro, foi decidido o afastamento de Protógenes Queiroz da direção da Operação Satiagraha. Na próxima semana, o procurador Roberto Antonio Dassié Diana deverá solicitar formalmente a fita à cúpula da PF, com a qual poderá ser analisado se as reclamações de Queiroz são procedentes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.