Protógenes: afastamento é 'cortina de fumaça' sobre crimes

'Os fatos por si só falam e os atos por si só falam. Quem produz prova para bandido, bandido é', disse o delegado

Agência Brasil,

15 de abril de 2009 | 18h39

O delegado Protógenes Queiroz, que conduziu a Operação Satiagraha e está afastado da Polícia Federal, disse nesta quarta-feira, 15, que seu afastamento faz parte de uma ação orquestrada para formar uma "cortina de fumaça" sobre os crimes investigados pela Policia Federal contra o banqueiro Daniel Dantas, dono do Opportunity.

 

Veja também:

especialPerfil: Quem é o delegado Protógenes Queiroz

especialAs versões de Protógenes

especialEntenda a Operação Satiagraha

especialAs prisões de Daniel Dantas

especialOs alvos da Operação Satiagraha 

 

"Os fatos por si só falam e os atos por si só falam. Quem produz prova para bandido, bandido é. Estão tentando produzir prova para o bandido condenado, que é o senhor Daniel Dantas. Os procedimentos revelam isso. As pessoas estão diariamente sendo reveladas nesse processo e o povo brasileiro está acompanhando", disse Protógenes, que evitou citar nomes.

 

A Operação Satiagraha investigou uma série de crimes financeiros, entre eles, lavagem de dinheiro, e chegou a prender 17 pessoas, inclusive o banqueiro. O delegado disse ainda que tentará reverter na Justiça o seu afastamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Satiagraha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.