Protocolo veta ruptura democrática

Invocado pelos críticos da adesão da Venezuela ao Mercosul, o Protocolo de Ushuaia, assinado em 24 de julho de 1998, na cidade de mesmo nome, no extremo sul da Argentina, dispõe sobre exigências democráticas no bloco. No artigo primeiro, institui: "A plena vigência das instituições democráticas é condição essencial para o desenvolvimento dos processos de integração entre os Estados Partes do presente Protocolo."O artigo 3 acrescenta que "toda ruptura da ordem democrática" em um dos países deve ser avaliada pelos demais integrantes do bloco. A sanção (artigo 5) varia "desde a suspensão do direito de participar nos órgãos dos processos de integração até a suspensão dos direitos e obrigações".As punições, segundo o artigo 7, são extintas em caso de restabelecimento da ordem democrática. O texto, assinado pelos presidentes de Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, Bolívia e Chile, se incorporou ao cabedal de regras relativas ao Mercosul e aos procedimentos para ingresso de novos membros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.